Ilustrações para sermões

  • Autoimagem

Quando você lê sobre os heróis da fé, os quais o autor de Hebreus fala no capítulo 11, talvez pense: “Eu não chego nem perto deles!” Mas vamos nos lembrar de algumas coisas que eles fizeram: Noé era um bêbado, Abraão era muito velho, José era sonhador, Jacó era mentiroso, Lia era feia, Moisés era gago, Gideão era um medroso, Sansão tinha um cabelão e era mulherengo, Raabe era prostituta, Jeremias e Timóteo eram muito jovens, Elias tinha tendência suicida, Isaías pregou nu, Jonas correu de Deus, Naomi era uma viúva, Jó faliu, João Batista comia gafanhotos, Pedro negou Jesus, os discípulos dormiram enquanto Jesus orava, Marta era preocupada, a mulher samaritana divorciou-se e se casou mais de uma vez, Zaqueu era muito pequeno, Paulo era muito religioso, Timóteo tinha úlcera, Lázaro estava morto. Se Deus pode usar todos esses homens e mulheres, com certeza Ele pode usar você.

  •  Culpa

Ouvi a história de um garoto que, sem querer, matou o passarinho preferido de sua vovó com seu estilingue. Não achando que alguém estivesse vendo, ele pegou o pássaro e enterrou. O que não sabia é que sua irmãzinha estava vendo tudo. Toda vez que a vovó mandava a garota fazer uma tarefa em casa, ela ameaçava o irmão dizendo: “Faça isso para mim, senão eu conto sobre o passarinho!”. Depois de um tempo, já cansado de tanto trabalhar, o garoto chegou a sua vovó e disse: “Vovó, eu quero te confessar algo, eu matei o seu passarinho”. A velhinha disse: “Meu querido, eu sei! Eu vi tudo! Eu perdoei você! Só queria ver quanto tempo você aguentaria viver debaixo dessa escravidão!”.

  • Desânimo

Um ladrão foi assaltar uma senhora que estava muito desanimada. Quando ele se aproximou dela, ele gritou: “Isso é um assalto! A bolsa ou a vida?”. Ela disse: “Meu filho, tanto faz, pois tanto a bolsa quanto minha vida estão vazias!”.

Ninguém está com uma arma apontada para sua cabeça dizendo: “Fique desanimado!”. É você quem decide ficar assim. Você não nasceu desanimado.  (Rick Warren )

  • Exemplo

Há alguns meses atrás, li um artigo do Dr. John Stott no qual ele iniciava o seu sermão falando sobre a fala de um professor hindu. Ao descobrir que um de seus alunos era cristão, o professor disse a ele: “Se vocês cristãos vivessem como Jesus, a Índia estaria sob seus pés amanhã”. John Stott acrescentou: “Eu acredito que a Índia estaria sob nossos pés hoje, se nós cristãos vivêssemos como Jesus”.

  • Foco

Durante uma conferência, Tom Woods, um famoso escritor e palestrante, compartilhou uma experiência de quando ele estava no Japão tentando escalar o Monte Fuji para ver o belo nascer do sol no amanhecer. Ele contou a experiência de um encontro com uma senhora japonesa de 90 anos de idade que estava com uma mochila nas costas e escalando o monte também. Tom Woods sendo amigável, aproximou-se da senhora para lhe perguntar qual era o seu segredo de sucesso para a sua longevidade. A senhora respondeu em japonês, “desculpe-me, estou escalando a montanha”, e continuou subindo. Tom ficou chateado por a senhora idosa não ter tempo para responder a sua pergunta.

Ao longo do caminho, Tom viu um barraco que vendia vinho japonês e pensou em beber algumas bebidas antes de fazer o seu caminho até o topo. Assim, depois de ter provado algumas bebidas, ele ficou inconsciente. A madrugada chegou ao fim e ele percebeu que perdera o nascer do sol. Quando finalmente chegou ao topo, viu que muitas pessoas já estavam lá experimentando o êxtase do sol da manhã quente brilhando nos rostos das pessoas.

Entre a multidão, Tom viu a senhora idosa que estava lá em sua posição de meditação. Tom disse: “Percebi uma coisa nesse momento, essa senhora tem o poder de foco enquanto eu perdi o objetivo de assistir ao nascer do sol”. Tom voltou para casa com a seguinte mensagem: a velha senhora focalizou na realização do objetivo que ela tinha em sua mente – atingir o cume do Monte Fuji – ela não se incomodou com as distrações que teve ao longo do caminho. Foco, esse era o seu segredo.

  • Igreja

Um dia levei minha sobrinha ao Macdonalds. Quando o  nosso big mac chegou , olhei para ela e disse: “Querida, como a carne é importante para o big mac. Já pensou um big mac sem a carne?”. Enquanto comia, pensei: O que posso aprender sobre igreja olhando para esse big mac? Bem, o resultado está aqui: “O amor é para a igreja o que a carne é para o Big Mac. Você pode ter o alface (pessoas), queijo (poltronas) pão com gergelim (prédio confortável), picles (sermão), cebola (música), etc. Sem a carne (amor) o Big Mac (A Igreja) perde o sentido.” (Edomm Hezrom – Baseado em 1 Cor 13: 1-8)

  • Inveja

Um pregador muito famoso estava fazendo uma série de palestras numa pequena cidade do interior. Alguém avisou o pastor da pequena igreja local que por causa das palestras desse grande orador, muitos membros da pequena igreja não iriam ao culto de domingo. Uma pessoa fez a seguinte pergunta ao pastor da pequena igreja: “Pastor, sabemos que a grande maioria dos membros de nossa igreja não virão ao culto. O senhor sente um pouco de inveja desse famoso pregador?”. A resposta do pastor foi: “Meu irmão, a única maneira de eu não sentir inveja desse respeitado pregador é orar por ele e desejar que Deus o use a cada dia naquilo que lhe foi confiado, é o que eu tenho feito mesmo antes de ele vir a esta cidade”.

  • Ira

Ouvi uma mulher dizer que pegou uma cadeira e a jogou em seu marido. A amiga disse: “Como você pode ser capaz de algo desse tipo?”. Sua resposta foi: “Na hora eu não vi nada!”. A ira nos cega, ela nos impede de raciocinar. (Edomm Hezrom )

  •  Materialismo

Um corretor da bolsa de Nova York tinha acabado de comprar um carro da marca Porsche. Ele estacionou em frente ao seu escritório para mostrá-lo aos seus colegas. Enquanto ele estava saindo do carro, um caminhão em alta velocidade passou e muito perto e levou a porta do carro. O homem ficou muito chateado. Ele pegou o celular e chamou a polícia, que levou cinco minutos para chegar ao local. O homem, histericamente gritou: “Meu Porsche, meu lindo Porsche prata está arruinado!  Não importa o tempo que fique no conserto, ele nunca mais será o mesmo!”. Quando o homem finalmente terminou o seu discurso, o policial balançou a cabeça em desgosto, e disse: “Eu não posso acreditar como você é materialista. Você é tão focado em suas posses que não nota mais nada em sua vida”. “Como você pode dizer uma coisa dessas em um momento como este?”, soluçou o proprietário do Porsche. O policial respondeu: “Você não percebeu que seu braço direito foi levando com a porta?”. O corretor olhou para baixo em horror e gritou: “Meu Rolex!”.

  • Maus hábitos

Havia um jovem que era um grande pregador. Porém, tinha o hábito de fumar. Algumas pessoas o viram fumando e foram contar ao pastor principal. Eles disseram: “Pastor, o jovem que prega em nossa igreja aos domingos tem fumado constantemente e alguns membros da igreja viram. O senhor precisa falar com ele”. O pastor principal, já de idade, e muito sábio por sinal, disse: “Rapaz, o seu futuro é muito brilhante para você deixar que um pequeno mau hábito o estrague”. O pastor não o condenou nem o criticou. Apenas disse essa única frase. O rapaz que fumava, voltou para casa e pensou no que ouviu. Em poucos dias, ele abandonou o vício completamente.

  • Morte de Cristo

Robert Coleman conta a história de um menino cuja irmã precisava de uma transfusão de sangue. O médico explicou que ela tinha a mesma doença a qual o menino já havia se recuperado há dois anos antes. Sua única chance de recuperação era a de uma transfusão de alguém que já havia vencido a doença. Uma vez que as duas crianças tinham o mesmo tipo de sangue raro, o garoto foi o doador ideal. “Você daria seu sangue para Mary?”, perguntou o médico. Johnny hesitou e seu lábio inferior começou a tremer. Então, ele sorriu e disse: “Claro, é para minha irmã”. Imediatamente, a criança foi levada para o quarto do hospital onde Mary estava. Ela, pálida e magra; Johnny, robusto e saudável. Nenhum dos dois falou, mas quando seus olhos se encontraram, Johnny sorriu. Conforme a enfermeira inseria a agulha em seu braço, o sorriso de Johnny desapareceu. Ele observava o fluxo de sangue através do tubo. Com a transfusão quase no fim, a sua voz, um pouco trêmula, quebrou o silêncio: “Doutor, quando vou morrer?”. Só então o médico percebeu porque Johnny havia hesitado e tremido o lábio quando concordou em doar seu sangue. Johnny achava que essa doação significava abrir mão de sua própria vida. Naquele breve momento, ele fez a sua grande decisão. Johnny, felizmente, não teve de morrer para salvar sua irmã. Cada um de nós, no entanto, tem uma condição mais grave do que a de Mary. Foi necessário Jesus dar, não apenas o seu sangue, mas a Sua vida. (Robert Coleman)

  • Ofensa

Lembro-me de um ator que tinha o papel de Jesus num filme. Quando estava gravando a cena de Jesus carregando a cruz, um turista parava perto do ator e o insultava: “Que Jesus gordo! Esse aí não sabe contracenar! Vai para casa!”. Cansado de ouvir os insultos, o ator soltou a cruz e deu um soco no turista. O diretor chamou a sua atenção e disse: “O que é isso amigo? Você não pode fazer isso! Sei que ele é chato, mas olhe o papel que você esta fazendo! Jesus nunca retaliava!”. O ator disse: “Tudo bem, prometo não fazer isso de novo!”. No outro dia, foi a mesma coisa. O turista vinha e o insultava ainda mais. O ator, cansado de ouvir tudo aquilo, soltou a cruz novamente e deu outro soco nele. O diretor conversou com o ator e disse: “Se fizer isso de novo, terei que demiti-lo”. Ele disse: “Preciso desse emprego, me perdoe”. “Tudo bem” — disse o diretor — “te dou mais uma chance!”. No outro dia, lá estava o turista fazendo todo tipo de piadas, insultando o ator ainda mais. O ator parou, olhou para o turista bem nos olhos e disse: “Deixa você comigo depois da ressurreição!”. Quando somos insultados, somos tentados a deixar nossa cruz e fazer como todo mundo faz: revidar com agressão física ou verbal.

  • Preocupação

“Winston Churchill, primeiro ministro do Reino Unido, no ano de 1945, uma vez disse:

Quando eu olho para trás e penso em todas aquelas preocupações, me lembro da história de um velho homem que no seu leito de morte disse: “Eu tive muitos problemas na vida, dos quais nunca realmente foram nenhum problema”.

Pense nas suas preocupações do ano que se passou e verá que 90% das coisas que te preocupavam nunca aconteceram de fato.”

  • Ressentimento

Um rapaz foi mordido por um cachorro que estava com raiva. Depois de ser examinado pelo médico, o doutor disse: “Se eu fosse você, escreveria o seu testamento porque você vai morrer”. Quando o médico saiu do seu consultório e voltou, encontrou o paciente escrevendo e disse: “Que bom que você seguiu o meu conselho e resolveu escrever o seu testamento!”. O homem que fora mordido pelo cachorro disse: “Não, doutor, isso aqui não é meu testamento, é uma lista de pessoas que eu quero morder antes de morrer”. Os ressentidos são pessoas que, depois de serem mordidas, canalizam todas as suas energias para morder os ofensores. (David Jeremiah)

  •  Sofrimento

Um casal levou o filho ao médico. O doutor disse ao pai do garoto: “Você precisa segurar seu filho com força”. A mãe estava vendo tudo, mas preferiu sair a ver seu filho ser agulhado pelo doutor. O menino poderia pensar: “Meu pai está me fazendo sofrer, por que ele não me ajuda?”, mas o pai sabia que filho precisava daquela injeção para não ficar doente.

Deus também faz isso. Às vezes, Ele permite o sofrimento para o nosso bem, mas achamos que ele não nos ama. O que vai te ajudar nesses momentos de sofrimento é: pare de focar nos seus sofrimentos e foque no amor de Deus. Eu não sei porque você está passando por tantos sofrimentos, mas uma coisa, eu sei, Deus ama você.  (Edomm Hezrom)

  • Tentação

1 – Ouvi a história de um esquimó que tinha um método de caçar lobos. Ele pegou uma lâmina bem-afiada e a cobriu de sangue congelado, transformando-a numa espécie de picolé. Depois de cobrir a lâmina com várias camadas de sangue congelado, ele a enterrava no chão, para cima. O lobo, ao sentir o cheiro do sangue fresco, era atraído pela isca e, ao lamber aquele sangue, desesperadamente, depois de um tempo, já não conseguia mais distinguir entre o seu próprio sangue e o sangue congelado. Pela manhã, o esquimó podia sair e encontrar o lobo morto por hemorragia. A tentação faz algo parecer bom no início, mas detrás do prazer ilícito, há a lâmina do diabo.

2 – Um homem disse que aprendeu a lidar com a tentação observando o seu cachorro. Toda vez que ele colocava comida para o seu cão, enquanto ele não dava ordem para o cachorro, ele não comia. Enquanto a ordem não era dada, o cachorro mantinha os olhos fixos no dono para não ser tentado a comer a refeição antes do sinal. Se você quer resistir à tentação, tome cuidado para onde você olha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s