Capítulo 1

Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos de Deus, peregrinos dispersos no Ponto, na Galácia, na Capadócia, na província da Ásia e na Bitínia, (1 Pedro 1:1)

Pedro foi escolhido por Deus para ser apóstolo. É interessante observar a sua vida nos evangelhos. O nome de Pedro é mencionado nos evangelhos mais vezes do que qualquer outro nome, exceto Jesus.  Continuar lendo

Anúncios

Capítulo 2

Livrem-se, pois, de toda maldade e de todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência.
Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação,
agora que provaram que o Senhor é bom. (1 Pedro 2:1-3)

Ao lermos este capítulo,  percebemos que Pedro estava preocupado com a maneira que nos relacionamos com os irmãos da igreja e com os incrédulos.  Nesta parte, em 1 Pedro 2:1-3, o foco de Pedro é a comunhão da igreja. Ele já havia falado sobre a necessidade de amarmos uns aos outros com sinceridade (1 Pe 1:22), e mais adiante, irá tratar da nossa relação com os de fora da igreja (1 Pe 2:11; 4:11).

Quando Pedro usa a palavra “pois”,  é para referir-se ao que foi ensinado no capítulo 1 nos versículos 23-25. Uma vez que fomos gerados pela Palavra de Deus, que nascemos de  novo, resta-nos agora abandonar tudo o que prejudica os nossos irmãos. Aqui, devemos fazer duas perguntas: Por que devemos abandonar essas atitudes e ações? O que significam estas coisas? Devemos abandoná-las porque elas nos impedem de desfrutar da verdadeira comunhão na igreja e essas atitudes podem ser consideradas como um câncer na igreja. Coisas deste tipo matam a comunhão e impedem que o amor cresça. São pecados que nós, cristãos, devemos constantemente abandonar. Não devemos entender que ao nos livrarmos de um pecado, ele irá embora para sempre. Todos os dias devemos nos livrar do que destrói o nossos relacionamentos. William Macdonald, comentando sobre essas palavras diz:

Continuar lendo