Capítulo 2

Livrem-se, pois, de toda maldade e de todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência.
Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação,
agora que provaram que o Senhor é bom. (1 Pedro 2:1-3)

Ao lermos este capítulo,  percebemos que Pedro estava preocupado com a maneira que nos relacionamos com os irmãos da igreja e com os incrédulos.  Nesta parte, em 1 Pedro 2:1-3, o foco de Pedro é a comunhão da igreja. Ele já havia falado sobre a necessidade de amarmos uns aos outros com sinceridade (1 Pe 1:22), e mais adiante, irá tratar da nossa relação com os de fora da igreja (1 Pe 2:11; 4:11).

Quando Pedro usa a palavra “pois”,  é para referir-se ao que foi ensinado no capítulo 1 nos versículos 23-25. Uma vez que fomos gerados pela Palavra de Deus, que nascemos de  novo, resta-nos agora abandonar tudo o que prejudica os nossos irmãos. Aqui, devemos fazer duas perguntas: Por que devemos abandonar essas atitudes e ações? O que significam estas coisas? Devemos abandoná-las porque elas nos impedem de desfrutar da verdadeira comunhão na igreja e essas atitudes podem ser consideradas como um câncer na igreja. Coisas deste tipo matam a comunhão e impedem que o amor cresça. São pecados que nós, cristãos, devemos constantemente abandonar. Não devemos entender que ao nos livrarmos de um pecado, ele irá embora para sempre. Todos os dias devemos nos livrar do que destrói o nossos relacionamentos. William Macdonald, comentando sobre essas palavras diz:

Maldade: Alimentar pensamentos maldosos contra outra pessoa. A maldade gera hostilidade, rancor e espera secretamente que calamidades sobrevenham a outrem como vingança.

Engano: Toda forma de desonestidade e engano. O dolo falsifica recibos dedutíveis do imposto de renda, cola em provas, mente sobre idade, suborna autoridades e faz negócios duvidosos.

Hipocrisia: Insinceridade, fingimento, impostura. O hipócrita é dissimulado. Ele finge  ser feliz no casamento quando, na verdade, seu lar está se desintegrando. Finge ser espiritual aos domingos, mas é completamente carnal nos dias de semana. Finge se interessar pelos outros, mas suas motivações são egoístas.

Inveja: Expressão clara de desgosto pela infelicidade alheia, desprazer gerado por observar privilégios ou prosperidade alheia ou ficar sabendo disso. Foi a inveja que levou os principais sacerdotes a entregarem Jesus a Pilatos para receber a pena de morte (Mt 27:18). A inveja continuar a matar. Uma mulher pode odiar outra porque ela tem uma casa mais confortável que a sua, um jardim mais bonito, roupas da moda ou mais talento na cozinha (ou por ser mais bonita- minha observação). Enquanto elogia o carro do amigo, um homem pode pensar: “Um dia vou ter um melhor!”.

Maledicência: Calúnias, fofocas, críticas mordazes. São tentativas de parecer mais limpo jogando lama em outra pessoa. Podem assumir formas extremamente sutis como: “Sem dúvida, ela é uma excelente pessoa, mas tem um pequeno defeito…” e, segundos depois, a “excelente pessoa” é apunhalada pelas costas.

Todos esses pecados, como afirma William Macdonald, constituem transgressões do mandamento para amar o próximo como a nós mesmos. Não é de admirar que Pedro nos instrua categoricamente a nos livrarmos de todas essas atitudes. (MACDONALD, William. Comentário Bíblico Popular.  São Paulo: Mundo Cristão, 2007)

Pedro nos ordena a desejar o leite espiritual, (Palavra de Deus.) Assim como um bebê precisa do leite, nós precisamos da verdade de Deus.  Entretanto, você não terá o desejo de buscar a Deus e Sua palavra se não abandonar o pecado. O esforço para  eliminar o pecado é o pré-requisito para sustentar o desejo de buscar a Deus.

“agora que provaram que o Senhor é bom.” Fico me perguntando se esse texto é uma realidade em nossas vidas. Fico me perguntando se nossa experiência com Deus é real ou se  nos contentamos apenas com o estudo teológico.Será que você provou que Deus é bom?  É preciso refletirmos sobre nossa espiritualidade. Sobre ter experiência com Deus,  A.W Tozer  afirmou, no livro À procura de Deus :  ” Não são meras palavras que alimentam a alma,mas o próprio Deus;e a menos que os ouvintes encontrem a Deus, através de uma experiência pessoal, não melhorarão em nada, por terem ouvido a verdade.”

À medida que se aproximam dele, a pedra viva — rejeitada pelos homens, mas escolhida por Deus e preciosa para ele — vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo.Pois assim é dito na Escritura: “Eis que ponho em Sião uma pedra angular, escolhida e preciosa, e aquele que nela confia jamais será envergonhado”. Portanto, para vocês, os que crêem, esta pedra é preciosa; mas para os que não crêem, “a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular”,e, “pedra de tropeço e rocha que faz cair”. Os que não crêem tropeçam, porque desobedecem à mensagem; para o que também foram destinados.
Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Antes vocês nem sequer eram povo, mas agora são povo de Deus; não haviam recebido misericórdia, mas agora a receberam. (1 Pedro 2:4-10)

Continua…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s